Início Busca Magazine Efemérides

MAGAZINE
efemérides

Aconteceu a 28 de março de 1810



Nascimento do historiador, jornalista e poeta português Alexandre Herculano

LER E ESCREVER COMENTÁRIOS

A 28 de março de 1810, nasce, em Lisboa, Alexandre Herculano de Carvalho e Araújo, escritor, historiador, jornalista e poeta português.

Durante a sua infância e adolescência, frequenta o Colégio dos Padres Oratorianos de S. Filipe de Néry, numa época em que Portugal estava a ser atormentado pelas invasões francesas. Neste colégio recebe formação clássica.

Alexandre Herculano fica impossibilitado de prosseguir os seus estudos na Universidade em virtude do seu pai, funcionário da Junta dos Juros, haver perdido o emprego por ter ficado cego.

Apesar da tragédia que se abate sobre a sua família, consolida a sua formação literária, adquirindo conhecimentos de francês, inglês, italiano, alemão, latim, lógica e retórica que muito contribuem para a sua obra literária.

Casa-se a 1 de maio de 1867 com Mariana Hermínia de Meira, não tendo deixado descendência.

Identificado politicamente com ala esquerda do Partido Cartista, participa na revolta de 21 de agosto de 1831 do Regimento n.° 4 de Infantaria de Lisboa contra o governo de D. Miguel I. O fracasso desta revolta leva-o a refugiar-se em Inglaterra e, posteriormente, na cidade francesa de Rennes.

Alista-se como soldado na expedição militar comandada por D. Pedro IV que viria a tomar a cidade do Porto, na luta contra D. Miguel.

D. Pedro IV nomeia-o segundo bibliotecário da Biblioteca do Porto.

Convidado para dirigir a revista O Panorama, patrocinada pela rainha D. Maria II, parte para Lisboa.

Em 1842, publica o romance histórico Eurico o Presbítero.

Em 1946, publica a sua História de Portugal, sendo atacado pelo clero por não considerar como verdadeiro o Milagre de Ourique, segundo o qual Jesus Cristo teria aparecido a D. Afonso Henriques naquela batalha.

O prestígio que alcança como historiador, leva a Academia das Ciências de Lisboa a encarregá-lo do projeto Portugaliae Monumenta Historica, que envolve a recolha de valiosos documentos dispersos pelos cartórios conventuais. Herculano inicia a publicação deste seu trabalho em 1856.

Em 1856, é um dos fundadores do Partido Regenerador Histórico, ou Partido Histórico, que se opunha ao Partido Regenerador de Fontes Pereira de Melo e Rodrigo da Fonseca.

A 31 de Dezembro de 1858, preside a um comício anticlerical.

Participa na redação do primeiro Código Civil Português (1860-1865).

Para além dos quatro volumes da sua História de Portugal e da organização do Portugaliae Monumenta Historica, Herculano publica, também, a História da Origem e Estabelecimento da Inquisição em Portugal.

Considerando que na Idade Média se encontram as raízes da nacionalidade portuguesa, publica Lendas e Narrativas.

No campo poético deixou-nos a Harpa do Crente (1838) e Poesias (1850).

No âmbito teatral, escreveu o drama histórico em três atos, A Crente na Liberdade (1860).

Escreveu dois romances: O Pároco de Aldeia e O Galego: Vida, ditos e feitos de Lázaro Tomé.

No Romance histórico, para além de Lendas e Narrativas e Eurico, o Presbítero, deixou-nos O Bobo e O Monge de Cister.

Faleceu na Quinta de Vale de Lobos, Azoia de Baixo, Santarém, a 13 de setembro de 1877.




TOPO