Início Desastres Naturais

desastres naturais

Rio, cidade-martir

De 10 a 13 de janeiro de 1966, o Rio de Janeiro foi fustigado, durante 96 horas, por um dilúvio que parecia não ter fim.

Do outro lado do Atlântico, o jornal lisboeta Diário Popular lamentava esta ocorrência com o título «Choveu tragédia sobre o Rio, a cidade maravilhosa».

O Diário de Lisboa do dia 13 de janeiro de 1966 refere a ameça de uma epidemia de tifo e a existência de centenas de desaparecidos no dilúvio do Rio de Janeira e informa que o mau tempo atingiu igualmente São Paulo, onde chove torrencialmente.

Este dilúvio entrou para a história como o pior do século XX nesta urbe: durante quatro dias o Rio parou, tendo ocorrido mais de quinhentas mortes.

Fonte 1: Diário Popular n.º 8349, de 12-01-1966, 24.º ano de publicação, pp. 1, 15 e 16

Fonte 2: Diário de Lisboa n.º 15472, de 13-01-1966, 45.º ano de publicação, p. 1




TOPO