Portal > História > Últimas palavras > Caio Júlio César                      

ÚLTIMAS PALAVRAS DE PESSOAS FAMOSAS

Pesquisa de Maria Luísa V. de Paiva Boléo para o Portal O Leme
Texto revisto em 17-11-2004 e publicado a 28-11-2004

             4 de 41  

Cada ano que passa, somos surpreendidos com a perda de alguém próximo ou mais afastado que nos habituámos a ver nesta comunicação social global, que todos aproxima. Tempos houve em que as mortes não eram tão súbitas e o moribundo ou o condenado à morte ainda podia despedir-se dos que amava e proferir frases que ficaram na História. Aqui ficam as "últimas palavras" de 41 personalidades de todos os tempos e de várias culturas.

  1 - Epaminondas
  2 - Esopo
  3 - Santo Estevão
  5 - Gregório VII
  6 - Afonso de Albuquerque
  7 - Thomas Cromwell
  8 - Juan de Padilla
  9 - Henrique VIII
10 - Inácio de Loyola
11 - Ana Bolena
12 - Isabel I de Inglaterra
13 - Maria Stuart
14 - Ninon de Lenclos
15 - Vatel
16 - John Locke
17 - Frederico II da Prússia
18 - Maria Antonieta
19 - Jorge IV
20 - George Washington
21 - Adam Smith

22 - Conde de Mirabeau
23 - Amadeus Mozart
24 - Vittorio Alfieri
25 - Goëthe
26 - Madame de Staël
27 - Lord Byron
28 - Madame Roland
29 - Bocage
30 - Almeida Garrett
31 - Walter Scott
32 - Sir Horatio
33 - Ludwig von Beethoven
34 - Friedrich Schiller
35 - Benjamin Disraeli
36 - Inocêncio da Silva
37 - Guilherme Braga
38 - Alfred Taunay
39 - Visc. de Rio Branco
40 - Richard Wagner
41 - Rosalía de Castro

Caio Júlio César - Musei Vaticani: Museo Pio Clementino di Scultura

Caio Júlio César

100 - 44 a.C.


Até tu, Brutus, meu filho?


Caio Júlio César, general romano, conquistador, tribuno e historiador. Conquistou as Gálias, esteve no Egipto (onde teve uma relação amorosa com Cleópatra), passou a África e submeteu a Hispânia. Aumentou consideravelmente as fronteiras do mais organizado império jamais existente – o romano. A sua audácia e astúcia, tornaram-no numa lenda. Amado e odiado, conseguia movimentar-se na complexa teia de influências da Roma de então. De chefe militar passou a ditador fundador do império mais sólido de sempre. Como senador foi brilhante. Teve diversos adversários como Catilina. César cria um triunvirato com Pompeu e Crasso e distribuem entre si os poderes do Estado. Fazem então alianças matrimoniais, Pompeu casa em quartas núpcias com Júlia, filha de César e ele casa pela terceira vez com Calpúrnia, filha de um político influente. No ano de 54 o triunvirato termina. A sua desmedida ambição leva-o a ser quase um monarca e querer ser considerado divino. Sem ter sido imperador é sem sombra de dúvida a mais conhecida figura da História Romana e mentor de grandes militares e políticos de diversos países. Júlio César cai em desgraça perante os seus pares e é assassinado, em pleno Senado, por 60 conjurados, entre eles um familiar insuspeito: o seu próprio sobrinho e filho adoptivo. Surpreso, César disse em latim: Tu quoque, Brute, fili mi? (Até tu, Brutus, meu filho?)