Início Efemérides

EFEMÉRIDES

Aconteceu a 18 de junho de 1946



Nascimento de Lídia Jorge

A 18 de junho de 1946, nasce, em Boliqueime, Loulé, a escritora portuguesa Lídia Jorge.

Oriunda de uma família de agricultores algarvios apreciadores da leitura, desde tenra idade que se habituou a escutar, ao serão, como entretenimento, histórias por eles contadas em voz alta.

Após ter feito a quarta classe, a mãe, apercebendo-se do gosto que a filha tinha pelos livros e considerando que a instrução e a cultura a poderiam libertar, fez todos os esforços para que ela continuasse os estudos, matriculando-a no liceu de Faro. Um professor daquele estabelecimento de ensino, tendo constatado a sua aptidão e vendo que os familiares não dispunham de capacidade financeira para o seu ingresso na Universidade, sugeriu que se candidatasse a uma bolsa da Fundação Calouste Gulbenkian. Esta foi-lhe concedida, tendo obtido a licenciatura em Filologia Românica pela Faculdade de Letras de Lisboa.

Iniciou a sua carreira como professora em Angola e Moçambique, durante os últimos anos da guerra colonial.

O seu primeiro romance – O Dia dos Prodígios – foi publicado em 1980.

A sua segunda obra – O Cais das Merendas – de 1982, é distinguida com o Prémio Literário Município de Lisboa, ex aequo com o Memorial do Convento de José Saramago.

Em 1984, publica Notícia da Cidade Silvestre, obra igualmente galardoada com o Prémio Literário Município de Lisboa.

Mais à frente, discriminamos toda a obra desta autora, com destaque para Misericórdia, o seu último livro.

Entre 1995 e 1999, foi professora convidada da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa.

Foi membro da Alta Autoridade para a Comunicação Social e integrou o Conselho Geral da Universidade do Algarve, instituição de ensino superior que lhe atribuiu, a 15 de dezembro de 2010, o doutoramento Honoris Causa.

A sua obra, traduzida em mais de vinte línguas, é avidamente lida por um vasto público, pois, para além do seu fulgente valor literário, retrata temas muito pertinentes como o passado colonial de Portugal, os conflitos entre gerações, a condição feminina e a emigração.

Obras

Romances

• O Dia dos Prodígios, 1980
• O Cais das Merendas, 1982
• Notícia da Cidade Silvestre, 1984
• A Costa dos Murmúrios, 1988
• A Última Dona, 1992
• O Jardim Sem Limites, 1994
• O Vale da Paixão, 1998
• O Vento Assobiando nas Gruas, 2002
• Combateremos a Sombra, 2007
• A Noite das Mulheres Cantoras, 2011
• Os Memoráveis, 2014
• Estuário, 2018
• Misericórdia, 2022

Contos

• A Instrumentalina, 1992
• O Conto do Nadador, 1992
• Marido e outros Contos, 1997
• O Belo Adormecido, 2004
• Praça de Londres, 2008
• O Organista, 2014
• O Amor em Lobito Bay, 2016

Poesia

• O Livro das Tréguas, 2019

Teatro

• A Maçon, 1997
• Instruções para Voar, 2016

Literatura infantil

• O Grande Voo do Pardal, 2007
• Romance do Grande Gatão, 2010
• O Conto da Isabelinha, Lilibeth's Tale, 2018

Ensaio

• Contrato Sentimental, 2009

Crónicas

• Em todos os Sentidos, 2020

Prémios literários

• Prémio Malheiro Dias, Academia das Ciências de Lisboa (1981)
• Prémio Literário Cidade de Lisboa (1982 e 1984), O Cais das Merendas e Notícia da Cidade Silvestre
• Prémio D. Dinis, Fundação Casa de Mateus (1998), O Vale da Paixão
• Prémio Bordallo de Literatura da Casa da Imprensa (1998), O Vale da Paixão
• Prémio Máxima de Literatura (1998), O Vale da Paixão
• Prémio de Ficção do P.E.N. Clube Português (1999), O Vale da Paixão
• Prémio Jean Monet de Literatura Europeia, Escritor Europeu do Ano (2000), O Vale da Paixão
• Grande Prémio da Associação Portuguesa de Escritores (2002), O Vento Assobiando nas Gruas
• Prémio Correntes d’Escritas (2002), O Vento Assobiando nas Gruas
• Albatroz, Prémio Internacional de Literatura da Fundação Günter Grass (2006)
• Grande Prémio da Sociedade Portuguesa de Autores, Millenium BCP (2007)
• Premio Speciale Giuseppe Acerbi, Scrittura Femmenile (2007)
• Prémio Michel Brisset, atribuído pela Associação dos Psiquiatras Franceses (2008), Combateremos a Sombra
• Prémio da Latinidade, João Neves da Fontoura, União Latina (2011)
• Prémio Luso-Espanhol de Arte e Cultura (2014)
• Prémio Vergílio Ferreira (2015)
• Prémio Urbano Tavares Rodrigues (2015)
• Grande Prémio de Literatura dst (2019), Estuário
• Prémio Rosalía de Castro do Centro PEN Galiza (2020)
• Prémio FIL de Literatura em Línguas Românicas de Guadalajara (2020)
• Grande Prémio da Crónica e Dispersos Literários Associação Portuguesa de Escritores / Câmara Municipal de Loulé (2021), Em Todos os Sentidos
• Prémio Vida Literária Vítor Aguiar e Silva (2023)

Condecorações

• Portugal: Grã-Cruz da Ordem do Infante D. Henrique de Portugal (9 de Março de 2005)
• França: Dama da Ordem das Artes e das Letras de França (13 de Abril de 2005)
• França: Oficial da Ordem das Artes e das Letras de França (14 de Julho de 2015)

Ligações aconselhadas

Histórias de Vida: Lídia Jorge


Primeira Pessoa com Lídia Jorge | RTP


Café com Letras - com Lídia Jorge e moderação de Ana Daniela


Lídia Jorge fala de «Misericórdia»


Publicações sobre a Obra de Lídia Jorge

Acesso ao artigo publicado no Diário de Notícias sobre Misericórdia, o novo livro de Lídia Jorge sobre a imortalidade da esperança.

O número 205 da revista Colóquio/Letras, da Fundação Caloust Gulbenkian, publicada em 2020, dedica um extenso dossiê sobre a sua obra.

O número 136 da Revista Espanhola TURIA, publicado em 2021, também lhe dedica o seu dossiê principal.


Leia também

LITERATURA

Estamos a reunir, num único local, os artigos sobre Literatura que têm vindo a ser publicados, com regularidade, no âmbito das Efemérides.




TOPO