Portal > História > Efemérides > 3 de março

E F E M É R I D E S

3 DE MARÇO

 1956

Primeiro navio de pesca português equipado com radar

A 3 de março de 1956, o Ministro da Marinha, Almirante Américo Tomás, visita o navio “Ilha de Santa Luzia”, o primeiro navio de pesca português equipado com radar. Construído nos estaleiros do Mondego, o novo barco, cujo custo ascendeu a 13 000 contos (cerca de 65 000 euros na moeda atual), irá juntar-se ao “Ilha de São Vicente”, ao “Almada” e ao “Alfama” navios semelhantes da Sociedade de Armadores de Pesca de Arrasto mas que ainda não possuem este moderno equipamento.

Fonte: Diário Popular nº 4815, de 03-03-1956, 14º ano de publicação, p. 8


 1971

Morte do ator português António Silva      Nasceu a 15 de agosto de 1886

Na madrugada do dia 3 de março de 1971, morre, em Lisboa, após prolongado sofrimento, o ator português António Maria da Silva. Era casado com a atriz Josefina Silva. Iniciou a sua carreira artística em 1910, no Teatro da Rua do Condes, desempenhando um pequeno papel na peça Novo Cristo, de Tolstoi. Ao longo da sua vida, entrou em diversas peças de teatro ligeiro e de revista e participou em inúmeros filmes ainda hoje muito apreciados, dos quais destacamos A Canção de Lisboa (1933), O Pátio das Cantigas (1942), O Costa do Castelo (1943) e O Leão da Estrela (1947).

Fonte: Diário Popular nº 10189, de 03-03-1971, 29º ano de publicação, p. 13

Carlos, Príncipe de Gales, prepara-se para frequentar o curso de piloto da R.A.F.

O Diário Popular de 3 de março de 1971 insere uma notícia oriunda da France-Presse segundo a qual o Príncipe de Gales irá frequentar, durante cinco meses, o curso de piloto aviador da Royal Air Force. Como já é um piloto civil experimentado entrará com a patente de Tenente, que só lhe será confirmada após ter aproveitamento no exame final. O Príncipe Carlos afirmou não querer que lhe seja atribuído soldo, sendo as suas faturas da messe pagas pelo Palácio de Buckingham. Dado tratar-se do herdeiro da Coroa Britânica, durante os exercícios de acrobacia aérea efetuados pelo príncipe, evitar-se-á, por motivos de segurança, que outros aviões voem nas mesmas paragens e o aparelho que pilotar estará constantemente sob vigilância do radar.



Fonte: Diário Popular nº 10189, de 03-03-1971, 29º ano de publicação, p. 9