Portal > Conteúdos > História > Efemérides > 3 de fevereiro

E F E M É R I D E S

3 DE FEVEREIRO

1488

Bartolomeu Dias dobra o Cabo da Boa Esperança

A 3 de fevereiro de 1488, Bartolomeu Dias dobra o Cabo da Boa Esperança, no sul do continente africano.



1894 - É tocado, pela primeira vez, o Hino dos Açores

A 3 de Fevereiro de 1894, a Filarmónica "Progresso do Norte", de Rabo de Peixe, toca, pela primeira vez em público, o Hino dos Açores, com letra do poeta António Tavares Torres, natural daquela freguesia e música do maestro Joaquim Lima, continental que se havia fixado temporariamente naquela localidade. A 27 de Junho de 1984, o Hino dos Açores é cantado, na presença do Presidente do Governo Regional dos Açores e de outras entidades oficiais, por 600 crianças, vestidas de saia azul, blusa branca e laço amarelo. O jornal "Açoriano Oriental", publica, dois dias depois, um artigo sugerindo que este Hino fosse transmitido nas emissões diárias da RTP e RDP-Açores, à semelhança do que aquelas emissoras faziam com o Hino da Madeira daquela Região Autónoma.

Fonte: Hinos, Símbolos e Referências dos Açores


1964 – A verdade sobre os acidentes de trânsito em Portugal

Imagem recente de um acidente rodoviário, captada pelo Correio da Manhã

Entre os dias 3 e 13 de Fevereiro de 1964, o Diário Popular insere oito artigos, redigidos por Nuno Rocha, com o resultado de um profundo inquérito sobre as causas dos acidentes de trânsito em Portugal, preconizando um certo número de soluções imediatas e outras a longo prazo que permitissem atenuar as suas funestas consequências. O articulista começa por referir que, no período compreendido entre 1955 e 1959, o custo dos desastres rodoviários atingiu 640 000 contos por ano. Em 1962, registaram-se, segundo o Anuário Estatístico dos Transportes Terrestres, 20 644 acidentes de viação, de que resultaram 17 990 vítimas, com a intervenção de 30 564 veículos. Na altura, o parque automóvel português não ia além de 248 000 veículos para uma rede de 17 524 quilómetros de vias rodoviárias onde as auto-estradas eram praticamente inexistentes. Os acidentes nas cidades eram em maior número do que nas zonas rurais, em parte devido ao desconhecimento das regras de trânsito pelos peões e, em alguns casos, pelos próprios automobilistas. Para suprir estas deficiências, o Diário Popular propõe, em síntese, as seguintes medidas: remodelação das estradas; construção de auto-estradas, uma vez estar provado serem estas sete vezes mais seguras; revisão do sistema de ensino nas escolas de condução, tornando-o menos teórico e mais prático; maior rigor na atribuição das cartas de condução; não permitir que um menor possa conduzir, sem carta, ciclomotores que podem atingir 100 quilómetros por hora; introduzir o ensino obrigatório das regras de trânsito nas escolas para crianças dos 8 aos 14 anos de idade e, por último, acções de formação rodoviária na rádio e na televisão. Esta série de artigos parece ter tido grande impacto junto dos leitores, sugerindo, um deles, a divulgação das regras de trânsito nas caixas de fósforos. Como contribuição para a melhoria desta situação, o Diário Popular redigiu, para o público infantil, um livro com as regras de trânsito, solicitando ao Ministério da Educação a sua divulgação nas escolas.

Fonte: Diário Popular 7654 (pp. 1 e 6), 7655 (pp. 1 e 12), 7656 (pp. 1 e 11), 7657 (pp. 1 e 12), 7658 (pp. 1 e 15), 7660 (pp. 17 e 25), 7662 (pp. 7 e 8) e 7663 (pp. 1 e 6) respectivamente de 3, 4, 5, 6, 7, 9, 12 e 13 de Fevereiro de 1964, 22º ano de publicação

Durante décadas, Portugal possuiu uma das piores redes rodoviárias da Europa, obrigando os automobilistas a atravessar o centro das localidades nas suas deslocações pelo país, o que provocava o aumento do número de acidentes.


1966 - Luna 9 pousa, suavemente, no solo lunar

A 3 de Fevereiro de 1966, a sonda soviética não tripulada Luna 9 pousa, com suavidade, no solo lunar. Este feito, levado a cabo pelos soviéticos, foi recebido, com entusiasmo, nos Estados Unidos. Edward Welsh, secretário-geral do Espaço daquele país, declarou que a alunagem «em doçura» deste engenho espacial provava, pela primeira vez, que a superfície lunar é sólida. Toda a humanidade aplaudirá o feito russo – declarou o presidente norte-americano Lynden Johnson.

Fonte: Diário Popular 8372, de 04-02-1966, 24º ano de publicação, pp. 1 e 12

Esta estação lunar tinha por objectivo principal a obtenção de informações sobre as características da superfície do nosso satélite natural. Foi a primeira a conseguir efectuar um poiso suave e a transmitir informações fotográficas para a Terra.


1966 – Um grave crime marítimo

Fotomontagem realizado pelo portal O Leme

A 3 de Fevereiro de 1966, o cargueiro português Conceição Maria foi albarroado pelo barco holandês Simon Skerk, que se pôs em fuga. Envolto em chamas, o Conceição Maria, derivou, perigosamente, em direcção aos reservatórios petrolíferos da Transocean. Um rebocador de alto mar passou-lhe um cabo, a fim de evitar uma catástrofe de consequèncias imprevisíveis. Salvaram-se os 26 tripulantes.


Fonte: Diário Popular 8371, de 03-02-1966, 24º ano de publicação, pp. 1 e 7