Portal > Conteúdos > História > Efemérides > 31 de janeiro

E F E M É R I D E S

31 DE JANEIRO

1891

Levantamento militar contra o governo da Coroa

A 11 de janeiro de 1890, o governo britânico tinha entregue a Portugal um memorando exigindo a retirada das forças militares existentes no território compreendido entre Moçambique e Angola, zona que era reclamada por Portugal. O governo da monarquia portuguesa cede a esta imposição, procedimento que não agrada ao partido republicano. Considera-se que este acontecimento tenha sido a principal causa para a ocorrência, a 31 de janeiro de 1891, na cidade do Porto, de um levantamento militar contra o governo da Coroa. As forças revoltosas, vindas do Campo de Santo Ovídio (hoje Praça da República), descem a Rua do Almada, até à Praça de D. Pedro, (hoje Praça da Liberdade), onde, em frente ao antigo edifício da Câmara Municipal do Porto, hasteiam uma bandeira vermelha e verde, símbolo do partido republicano, ao mesmo tempo que o Dr. Alves da Veiga, uma das figuras cimeiras desta revolta, proclama o governo provisório da República. A multidão, sobe, de seguida, a Rua de Santo António, (rebatizada posteriormente para Rua 31 de janeiro em memória desta ocorrência), em direção à Praça da Batalha, onde é sustida, com muitos mortos e feridos, pela intervenção da artilharia e fuzilaria da Guarda Municipal, fiel à monarquia.

Fonte: Diário Illustrado n.º 6407, de 01-02-1891, 20.º ano de publicação, pp. 1 a 3

Nascimento do poeta português Luís de Montalvor      Faleceu a 2 de Março de 1947

A 31 de janeiro de 1891, nasce, em São Vicente, Cabo Verde, o poeta português Luís de Montalvor, pseudónimo de Luís da Silva Ramos. Pertenceu ao grupo modernista, tendo sido um dos fundadores da revista Orfeu..


1964

Estreia no Condes o filme português Aqui Há Fantasmas

A 31 de janeiro de 1964, estreia, no cinema Condes, o filme português Aqui há fantasmas, baseado numa farsa em dois atos da autoria de Jorge de Sousa, pseudónimo de Henrique Santana. Numa altura em que em Portugal já se rodavam filmes a cores, o anúncio a esta película, inserido no Diário Popular de 31 de janeiro de 1964, ironizava, dizendo que o filme tinha sido produzido a duas cores: a preto e branco! Participaram nesta película, entre outros, Henrique Santana, Carmen Mendes, Humberto Madeira, António Silva, Ribeirinho e Eugénio Salvador.

Fonte: Diário Popular nº 7651, de 31-01-1964, 22º ano de publicação, p. 5

SINOPSE: Consta que uma casa senhorial está assombrada. Então, o Professor Hermes decide fazer uma experiência em que anda a magicar há muito tempo: testar a pílula da coragem. Escolhe um pobre diabo, o Chichas, para cobaia, e promete-lhe 150 contos em troca de ele passar lá a noite. Leva o Chichas e uma enfermeira para a casa assombrada e pede a um colega que se disfarce de fantasma para assustar o homem. Só que há outros fantasmas lá em casa.

In Site da RTP

Diversos grupos de teatro têm representado esta comédia de Henrique Santana. Na imagem, apresentamos o cartaz da encenação levada a cabo pelo Teatro Fundo de Cena. Em 1985, uma versão televisiva desta peça, dirigida por Pedro Martins e encenada pelo próprio autor, foi transmitida pela RTP.